spotify-demitiu-funcionarios

Spotify Layoff: Empresa Demite2.300 Funcionários em 2023

A mágica do Natal envolve as ruas de Estocolmo, mas para os funcionários da sede global do Spotify, a noite de 4 de dezembro marcou um momento sombrio. Enquanto mais de um milhão de luzes iluminavam as “Caminhadas de Natal” pela cidade, Daniel Ek, CEO do Spotify, anunciava uma notícia desanimadora: 17% da força de trabalho global seria cortada, totalizando cerca de 1.500 empregos perdidos nas próximas semanas. No total, o Spotify Layoff foi de 2.300 funcionários em todo o ano.

Qual a razão do Layoff do Spotify?

Numa tentativa de atender às expectativas dos investidores e controlar os custos, Ek tomou medidas significativas ao longo do ano. Essas decisões foram impulsionadas por uma necessidade premente de alcançar metas de lucratividade, destacadas em eventos de investidores anteriores.

Em 2023, os custos operacionais trimestrais do Spotify diminuíram, passando de mais de um bilhão para € 853 milhões, resultando em um lucro operacional de 32 milhões de euros no terceiro trimestre. Embora isso tenha impulsionado as ações em mais de 7,4%, ainda há um longo caminho a percorrer para atingir as metas ambiciosas delineadas por Ek.

As margens brutas e operacionais ficaram aquém das expectativas, com 26,4% e 1,0%, respectivamente, em comparação com as metas estabelecidas de 40% e 20%. Mesmo com os cortes profundos, o Spotify ainda enfrenta desafios para transformar suas ambições em realidade.

Esses 1.500 cortes de empregos  chegam no mesmo ano civil em que Spotify demitiu cerca de  800 funcionários no Spotify – primeiro em janeiro (cortando cerca de 600 funcionários ) e depois em junho (cortando cerca de 200 funcionários ).

O DIA DO INVESTIDOR DO SPOTIFY PROMETE

O Dia do Investidor de 2022 pintou um quadro otimista, com Ek prevendo uma receita anual de $100 bilhões e margens brutas e operacionais robustas. No entanto, a realidade atual mostra uma lacuna significativa entre a visão e a execução.

O Spotify, uma vez focado em podcasts e conteúdo original, agora busca redefinir sua essência como uma empresa musical. O corte de empregos em “conteúdo original” e podcasts reflete essa mudança estratégica, mas a estrada para a rentabilidade ainda parece distante.

À medida que nos aproximamos do final de 2023, a pressão sobre o Spotify para cumprir suas promessas de rentabilidade aumenta. O desafio agora é transformar cortes de empregos em uma narrativa de eficiência e crescimento sustentável, enquanto a empresa busca se recuperar de um ano tumultuado.

 

“Na verdade, tudo se resume a isto: vimos o potencial para sermos muito mais do que apenas uma empresa musical . Ao aproveitar o que aprendemos e toda a tecnologia que construímos, na música e em outros setores, nossas ambições se tornaram muito maiores.” Disse Daniel Ek

Leia também: O que muda no Spotify em 2024?

Os comentários estão fechados.